A Opinião do Farmaceutico Vacina da Gripe Suina

  Pandemia da Gripe H1 N1 a visão de Um Farmacêutico por contraponto às verdades oficiais.

Reagir eficazmente a uma crise pandémica exige planeamento treino muito trabalho de todos e sobretudo não adiar decisões; As Farmácias e os seus profissionais estão preparados e já elaboraram e planearam os seus planos de contingencia.

 

Parece que o facto de os Farmácias estarem preparadas e disponíveis para colaborarem no programa de vacinação, causa engulhos a muitos dos nossos responsáveis do MS e a palavra de ordem é vacinação nas Farmácias é J´amais! Os centros de saúde produzirão a vacinação!!! Por outro lado o ministério da Saúde informa que as vacinas para a nova estirpe, só estarão prontas por volta de Dezembro Janeiro

 

Os responsáveis do MS e até a própria ministra parecem ignorar vários factos e continuam a produzir informações especialmente no que se referem aos aspectos técnicos das Vacinas que com o devido respeito importa corrigir.

 

Senão vejamos um cenário de pandemia é muito mais que um problema de saúde, vai afectar toda a sociedade e a economia muito para alem das febres dores e da mortalidade mínima expectável para os episódios de gripe-

 

Qual o melhor defesa para este cenário? A vacinação!!! antes do Pico Pandémico... O que diz o ministério a vacina só estará disponível em Dezembro-Janeiro!

 

Haverá vacinas antes do pico pandémico do inverno no Hemisfério Norte? Sim muito provavelmente! … mas em Portugal provavelmente não. O nosso país adiou a reserva contrariamente a países como Reino Unido, França, Espanha , Itália Grécia que obviamente receberão os primeiros lotes de vacinas a serem produzidas.

 

 

Porquê? Porque devido à capacidade de produção de vacinas ser finita, e Portugal ter permanecido na indefinição de fazer a reserva até recentemente, muitos países anteciparam-se e consequentemente as primeiras vacinas a serem produzidas se-lo-ão para estes países.

 

Neste mês de Julho as Companhias Farmacêuticas, com know-how e capacidade para tal, já produziram as vacinas da gripe sazonal, encontram-se a multiplicar em incubadoras os virus da nova estirpe da Gripe H1N1 em ovos fecundados, naquilo que formalmente é o inicio da produção das vacinas.

 

Apesar do rendimento poder ser substancialmente mais baixo do que a produção das vacinas da gripe sazonal As primeiras vacinas encontrar-se-ão disponíveis em inicio de Agosto.

 

Com efeito as autoridades Americanas FDA e Europeias EMEA reguladoras da aprovação de novos medicamentos, contam aprovar a vacina dentro de algumas semanas, utilizando o mecanismo de aprovação rápida.

 

Reino Unido, França, Grécia e Suécia, disseram que iriam começar a vacinar a população imediatamente após aprovação da vacina

 

Apesar de não ser certo nesta fase do desenvolvimento se a imunização irá exigir uma ou duas doses da vacina. ( As crianças exigirão certamente 2 doses) do ponto de vista técnico importa antecipar os programas de vacinação da gripe sazonal e da nova gripe de forma a que os picos das duas formas não se confundam lançando o caos nos Centros de Saúde e Hospitais e o pânico na população com as consequentes absentismos laborais e escolares.

 

Por outro lado mesmo que a vacina esteja disponível em Dezembro e Janeiro nos centros de saúde como informa Francisco George e o MS como é que se vacinam em tempo útil 3,5 milhões de Portugueses, sabendo nós os tempos de resposta destes serviços públicos em casos de de afluência anormal de utentes??? Os enfermeiros e os médicos farão turnos de 24 horas???

 

Depois como organismo humano necessita de cerca de 3 semanas para desenvolver a resposta imunológica adequada, os últimos portugueses a serem vacinados estarão imunizados lá para a primavera!!!

 

Reparem que este período irá ocorrer provavelmente no pico da gripe sazonal, em que as pessoas com o mínimo de sintomas gripais insistirão em procurar os C.S ou Urgencias hospitalares, achando que estão contaminadas com a nova variante entupindo todo o sistema.

 

Portanto do meu ponto de vista recusar a oferta das Farmácias de participarem no programa de vacinação dos grupos de risco em tempo útil revela no mínimo uma tacanhez política assinalável e no ponto de vista de Saúde pública uma posição no mínimo discutível, do nosso MS, como alias tudo o que tem sido feito ás Farmácias nos últimos 3 anos!!!

 

Na minha modesta opinião o programa de vacinação da gripe sazonal deveria ser antecipado e começar imediatamente de forma os grupos de maior risco ficassem convenientemente imunizados e diminuir os falsos positivos de H1N1 no momento em que o diagnóstico já não poderá ser feito laboratorialmente mas sim clinicamente.

Pois como é fácil de ver o maior risco não será da gripe em si mas do histerismo colectivo que se pode gerar!

 

Queiram por favor comentar e corrijam-me se estiver errado!!!

 

Eduardo